Muito além de um ‘bom’ currículo

Graduação, especialização e uma lista interminável de cursos já não são mais fatores determinantes para garantir a contratação em uma empresa. Embora ainda sejam fatores importantes para que você seja chamado para os processos seletivos direcionados para o seu campo de atuação, as formações técnicas não configuram a certeza do emprego.

Durante os processos de recrutamento e seleção os candidatos são avaliados também pelo comportamento e desempenho nas atividades. Isto significa que as atitudes como relacionamento interpessoal, proatividade, capacidade de resolução de conflitos, criatividade e inovação, dentre outros, passam a fazer parte das investigações dos selecionadores e configuram o principal diferencial na escolha dos candidatos. Se a ausência de domínio técnico faz a empresa pensar se é possível treinar o candidato para exercer a função, a ausência de atitudes adequadas descarta completamente a possibilidade de ser escolhido para a vaga.

E a pergunta principal é: você está preparado para ter comportamentos assertivos ou continua se preocupando muito mais em colecionar cursos e treinamentos?

Obviamente os cursos para maior domínio em sua função e responsabilidade continuam sendo importantes e farão você concorrer às posições, mas serão suas atitudes que garantirão a possibilidade real de contratação, e mais ainda, a sua permanência na empresa e os planos para o seu crescimento dentro do negócio.

Sabemos que a capacitação e a busca pelo conhecimento devem ser contínuos. Atualmente, com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo e com um índice de desemprego que permanece alto, infelizmente, pessoas altamente capacitadas continuam desempregadas. Na hora de um possível ‘desempate’ em uma entrevista de emprego são as observações sobre a personalidade de cada um que farão a diferença.

Ao longo desses 20 anos de trabalho nesta área de desenvolvimento humano, observo que pessoas muito capacitadas e até com excelentes experiências profissionais tem dificuldade de agir de forma assertiva quando estão sob pressão. A capacidade de integrar-se e relacionar-se com pessoas e saber trabalhar em equipe, principalmente em momentos de tensão, fazem a diferença.

É por isto que o conceito mais difundido de competência a define como um conjunto de conhecimentos, habilidades, atitudes, valores e qualidade de entrega imprescindíveis para o sucesso da pessoa no cargo. Quando falamos de conhecimentos e habilidades estamos nos referindo aos requisitos técnicos de formação, teorias, experiências e vivências, mas quando nos referimos a atitudes, valores e qualidade de entrega o enfoque é completamente comportamental, é o querer fazer, em ação dentro dos princípios e normas; e todo olhar para resultados dentro do prazo, da qualidade, dos relacionamentos e dos custos esperados.

Assim, não basta suas médias excelentes na educação formal, seus inúmeros certificados nos mais diversificados cursos de extensão; ou ainda suas mais variadas experiências dentro das atribuições e responsabilidades para determinado cargo; se seus colegas de trabalho não dão boas referências de suas abordagens como membro do grupo ou se seus chefes não conseguem falar positivamente sobre seu foco no resultado, orientação para cliente e entusiasmo para entregar um trabalho bem feito.

Todos, gestores e colaboradores, precisam aprender a ser líderes de si mesmos. Liderar as próprias emoções e atitudes, entendendo qual o melhor comportamento para enfrentar aquele problema ou aquela situação. Você se lembra de um momento em que agiu por impulso? Ou de forma agressiva? Ou ainda, perdeu o controle no seu local de trabalho? Você se lembra quando negligenciou os prazos e não foi tão atento ao resultado da atividade? Você se lembra de um momento em que seu atendimento ao cliente não foi exemplar e deixou marcas negativas? Você se lembra de quando não administrou a situação de maneira eficaz, focando mais no problema do que na solução?

Certamente não consigo esgotar as perguntas que façam você pensar quando o seu comportamento não correspondeu a melhor opção de ação no ambiente de trabalho, mas quero fazê-lo refletir, que são situações como estas, em que pode reconhecer e procurar mudanças, que levarão você para outro estágio de competência, e certamente a ser uma pessoa muito mais atrativa e competitiva no mercado de trabalho.

O primeiro passo para alcançar o comportamento assertivo é reconhecer que a forma como você fez pode ser diferente da próxima vez em que você deparar-se com uma situação semelhante. E se você quer conquistar uma promoção ou está buscando novas oportunidades profissionais, entenda de uma vez por todas que, cada processo de recrutamento e seleção envolve entrevista comportamental com foco em competências e dinâmicas de grupos voltadas para comportamentos. Ou seja, você será avaliado por um conjunto de recursos técnicos, mas também como age em situações específicas e direcionadas para um ambiente harmonioso e produtivo. Logo, para alcançar a vaga que você tanto quer é preciso ter muito mais do que um ‘bom’ currículo.

Pense nisto e eleve o seu currículo para além do papel. Se eu puder ajudar, faça contato.

Cíntia Lima

Psicóloga, Master Coach e Mentora Organizacional

cintialima@coachcintialima.com

#Artigo #JornaldoCommercio #Profissional #Meta #Sonho #Formação #Provativa #Objetivo #Moderno

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© Todos os direito reservados, Cintia Lima Master Coach | Created by: Gadita's

  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

(92) 98100-4470 / 3016-4470

Rua Parneiras, 329 - Flores, Conjunto Duque de Caxias